Obrigações Estruturadas.


Obrigação Estruturada    Liquidez    Rendibilidade    Risco

 

Obrigações Estruturadas são produtos financeiros complexos - PRIIP na forma de obrigações/notes de dívida de um determinado emitente e que permitem aos investidores, estar expostos, total ou parcialmente, à evolução de instrumentos financeiros ou de variáveis económicas ou financeiras relevantes (ações ou cabaz de ações, índices acionistas ou taxas de câmbio, por exemplo).


Quem investe nestes produtos, deve consultar o respetivo documento de informação fundamental, e certificar-se de que compreendeu as suas caraterísticas, nomeadamente:

  • A forma de cálculo da remuneração e a existência ou não de uma remuneração mínima garantida;
  • O seu nível agregado de risco (risco de mercado e risco de crédito) e os demais riscos associados, designadamente o risco de liquidez e, se aplicável, o risco cambial;
  • O cenário favorável, moderado, desfavorável e de stress, de possível remuneração do produto;
  • Os custos implícitos associados ao produto, ainda que não sejam desembolsáveis pelo cliente.

 

 

Histórico


SG EUR DIVIDENDO EUROPEU 2018-2023

+

SG EUR NOTES SILVER ECONOMY 2017-2020

+

BES AUTOCALLABLE AÇÕES PORTUGUESAS 2014-2019

+

BES AUTOCALLABLE AÇÕES PORTUGUESAS II 2014-2019

+

BES AUTOCALLABLE AÇÕES PORTUGUESAS III 2014-2019

+

BES AUTOCALLABLE AÇÕES PORTUGUESAS IV 2014-2019

+

BES AUTOCALLABLE PAISES PERIFERICOS 2014-2019

+

BES DUAL GRANDES MARCAS 2014-2019

+

Tem dúvidas? Nós esclarecemos.

O que é uma Obrigação Estruturada?

+

O que é um PRIIP?
Os PRIIP são pacotes de produtos de investimento de retalho e de produtos de investimento com base em seguros: (i) um investimento em que o montante a reembolsar ao investidor não profissional está sujeito a flutuações devido à exposição a valores de referência ou ao desempenho de um ou mais ativos não diretamente adquiridos pelo investidor não profissional ou (ii) um produto de seguros que oferece um valor de vencimento ou resgate total ou parcialmente exposto, direta ou indiretamente, às flutuações do mercado. Podem assumir a forma de depósitos, seguros, fundos ou obrigações.

O que é uma Nota Estruturada?
Valor mobiliário que combina uma obrigação - instrumento de dívida - com um instrumento derivado embutido naquela obrigação, por força do qual o rendimento da obrigação fica dependente, na sua existência e/ou montante, do desempenho de um outro ativo, instrumento ou contrato financeiro e que pode potenciar ou alavancar esse rendimento. O rendimento da obrigação dependerá, proporcionalmente ou não, da variação do valor do indexante/subjacente com possibilidade de perda de capital na maturidade do produto.

Quais os principais riscos associados a uma Nota Estruturada?
Principais Riscos Financeiros:
- Risco de perda parcial do capital investido dependente da performance dos subjacentes;
- Risco de perda total ou parcial do capital investido em caso de reembolso antecipado ou de insolvência do emitente, ou garante;
- Risco de reembolso antecipado pelo emitente;
- Risco de liquidez, se não houver admissão à negociação em mercado;
- Reduzida liquidez do mercado, designadamente quando não exista criador de mercado (market maker); ou caso não exista a possibilidade de solicitação de reembolso antecipado por opção do investidor. Na presença de condições de mercado menos favoráveis, a venda do produto em mercado secundário pode ser suspensa temporariamente.

Principais Riscos Não Financeiros:
- Risco de conflitos de interesses, designadamente por força de coincidência ou ligações entre o emitente, o comercializador e o agente de cálculo;
- Riscos jurídicos (alterações no regime legal de tributação ou de transmissão, exercício de direitos, etc.).

Liquidez de uma Obrigação Estruturada

+

Posso vender a minha posição nas Notas em qualquer altura?
Sim. O emitente garante mercado secundário a esta emissão, no entanto, deve ser tido em conta que a venda do mesmo durante a vida do produto sujeita o cliente a uma cotação que pode ser inferior ao preço de emissão. Conforme indicado no DIF (Documento de Informação Fundamental), um investimento nas Notas comporta o risco de, até à Data de Maturidade, os Investidores não conseguirem encontrar um comprador para as suas Notas, ou não conseguirem vender as Notas por um preço pelo menos igual ao seu Valor Nominal ou, em certos casos, mesmo inferior. Os Investidores deverão estar dispostos a manter o seu investimento pelo prazo das Notas, com a falta de liquidez daí decorrente.

A evolução do preço do Produto:
A cotação do produto estará sujeita a volatilidade já que depende das valorizações dos instrumentos que a constituem (Cupão zero + Instrumento Derivado). Estes instrumentos estão sujeitos a volatilidade tanto pelo nível das taxas de juro, como pela evolução do subjacente, da sua volatilidade e horizonte temporal até à observação final. No caso de uma nota que tenha capital garantido é de referir que em mercado secundário, o preço do produto pode ser inferior ao capital garantido na maturidade da nota e que, em consequência, nesse cenário particular , o investidor pode incorrer numa perda de capital superior ao capital garantido.

A rendibilidade do investimento numa Obrigação Estruturada

+

Qual a rendibilidade de uma Obrigação Estruturada?
Dependendo do tipo de estrutura, a rendibilidade esperada de uma nota estruturada poderá ter capital total ou parcialmente garantido na maturidade e uma rendibilidade resultante da estrutura implícita dos subjacentes que so ocorre caso se verifiquem as condições definidas nos documentos da emissão.

No pior cenário possível qual será o resultado?
No pior resultado possível, no caso de uma note de capital garantido será, na maturidade, receber apenas o capital investido. No caso de uma note com capital em risco, o investidor receberá a % do capital que esteja garantido de acordo com as condições do produto.

E qual é o melhor resultado possível?
No melhor resultado possível, dependendo das condições e estrutura poderá ter o reembolso de 100% do capital assim como de pagamento de cupão definido pela estrutura no reembolso.

Então mas e porque não posso investir diretamente nos subjacentes, poderia ganhar mais?
Se o cliente investir diretamente nos subjacentes estaria completamente exposto ao risco de mercado dos próprios subjacentes, à variação da cotação dos mesmos, não existindo qualquer proteção ao capital investido. De forma a permitir uma proteção ao capital investido a estrutura tem também um limite ao ganho potencial.

O risco de uma Obrigação Estruturada

+

O que é o Indicador Sumário de Risco?
O indicador sumário de risco constitui uma orientação sobre o nível de risco deste produto quando comparado com outros produtos. É o elemento que permite uma rápida comparação entre produtos concorrentes. A sua classificação é de 1 (mais baixo) a 7 (mais alto).

Mostra a probabilidade de o produto sofrer perdas financeiras, no futuro, em virtude de flutuações dos mercados (risco de mercado) ou devido à nossa incapacidade para pagar a sua retribuição (risco de crédito).