Skip to main content
SEGURANÇA ONLINE:

guia de compra de casa

Tudo o que precisa para tornar este grande investimento mais fácil e eficaz.

Como escolher a casa a investir?

Escolher a casa ideal é uma das partes mais complexas do processo, mas é também a mais importante. É esta escolha que vai fazer parte do seu futuro, das suas futuras memórias e vivências, suas e dos seus. Todos os detalhes podem ser relevantes e são vários os fatores que influenciam esta decisão.

Para facilitar o processo, uma boa sugestão é começar por fazer uma lista como a apresentada, incluindo alguns destes aspetos e outros que ache relevantes para si. É importante realizar uma análise comparativa de zonas, considerando essa mesma lista, de modo a concluir que localização melhor satisfaz as suas necessidades e cumpre os seus requisitos.

 

  • A localização

    Por vezes, uma boa localização pode ser tudo. Não só valoriza o seu imóvel, como melhora a sua vida, de acordo com os seus gostos e preferências.

    Em primeiro lugar, é indispensável uma análise da oferta e condições relevantes na área envolvente:
    • transportes;
    • estacionamento público;
    • trânsito;
    • serviços essenciais (supermercados, farmácias, hospitais);
    • restauração;
    • distância dos locais de rotina (emprego, escolas);
    • vizinhança;
    • segurança da zona;
    • poluição e ruído.

  • O futuro

    Não se esqueça de investigar o futuro da zona, pois uma pequena mudança pode acabar por ter uma grande influência. Solicite o Plano de Urbanização e o Plano Diretor, junto da Câmara Municipal, e verifique se algum dos planos influencia as atuais características do seu imóvel (acesso, vista, construção de estradas, parqueamento, etc.).

  • A casa

    Para além do número de divisões e quais as divisões que necessita na sua habitação, há certos aspetos a considerar que podem não parecer tão evidentes, tanto relacionados com o interior como com o exterior da casa. Verifique as suas condições:
    • acessos à garagem;
    • segurança em termos de facilidade de assalto;
    • canalizações;
    • humidade;
    • equipamento;
    • área bruta versus área útil, considerando o crescimento da família e os planos a longo prazo;
    • condomínio (valor mensal, zonas comuns, etc.);
    • construção (materiais utilizados, instalações, canalizações, etc.);
    • eficiência energética;
    • exposição à luz solar;
    • últimos pisos e rés do chão (andares mais propícios a infiltrações).

    Se for uma casa já habitada, verifique:
    • direitos de preferência (câmara municipal, herdeiros, inquilinos);
    • estado de conservação;
    • canalizações;
    • autorização para obras;
    • obras que vão ser um custo extra.

  • Solução de crédito