Skip to main content
COVID-19:

Conselho de Administração Executivo

Este é o seu Banco.

Conselho de Administração Executivo

 

Os membros do CAE são nomeados pelo Conselho Geral e de Supervisão a quem também compete ainda nomear o Presidente do CAE (CEO).

Membros do Conselho de Administração Executivo para o quadriénio 2021-2024:

António Manuel Palma Ramalho

Chief Executive Officer

Mark George Bourke

Chief Financial Officer

Rui Miguel Dias Ribeiro Fontes

Chief Risk Officer

Luísa Marta Santos Soares da Silva Amaro de Matos

Chief Legal & Compliance Officer

Luís Miguel Alves Ribeiro

Chief Commercial Officer (Retail)

Andrés Baltar Garcia

Chief Commercial Officer (Corporate)

Notas Biográficas

Formado em Direito pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa, António Manuel Palma Ramalho tem uma vasta experiência no setor financeiro. Entrou para o sistema financeiro pela Associação Portuguesa de Bancos, em 1985, como responsável pela formação em mercados financeiros através do Instituto de Formação Bancária. Em 1990 foi trabalhar para o Banco Pinto Sotto Mayor, na área financeira, Instituição de que se tornou Administrador em 1993. Permaneceu na Administração após a aquisição do Banco pelo Grupo Champalimaud e passou a membro dos conselhos de administração dos restantes bancos do Grupo, Banco Totta e Açores, Credito Predial Português e Banco Chemical Finance, sempre com responsabilidades da área estratégica e financeira. Tendo participado na cisão que precedeu a venda do Grupo em 2000, veio então a integrar a Comissão Executiva e Conselho de Administração do Grupo Santander Totta em Portugal com responsabilidades na área comercial e na área do imobiliário no Credito Predial Português, até 2003. Em 2004 dedica-se às áreas financeiras de empresas do sector público na área de transportes e Infraestruturas, primeiro na Rave e posteriormente como Presidente do CA da CP – Comboios de Portugal, entre 2004 e 2006. Volta ao sector financeiro em 2006 como Presidente do Conselho de Administração e Comissão Executiva da Unicre, empresa detida pelos principais bancos portugueses e em 2010 transfere-se para o Millennium BCP, como CFO e Vice-Presidente do Conselho de Administração Executivo e Presidente do Banco de Investimentos Imobiliários do Grupo. Volta ao sector da Infraestruturas em 2012 como Presidente e CEO das Estradas de Portugal, tendo sido o responsável pela fusão entre as Estradas de Portugal e a Refer – Rede Ferroviária Nacional, que deram origem em 2015 à Infraestruturas de Portugal empresa com 27 mil milhões de Euros de activos líquidos rodoferroviários, empresa a que presidiu. Durante a sua vida profissional, António Ramalho, desempenhou várias funções não executivas de que se destacam, membro do Conselho de Administração da Bolsa de Valores de Lisboa até 2000, Presidente de várias sociedades financeiras do grupo Champalimaud até 2000, membro não executivo do CA PT entre 2008 e 2010, membro do Conselho de Administração representando a região Europa Sul da Visa Europe, entre 2007 e 2010, membro do supervisory board da Euronext NV, até 2012. António Manuel Palma Ramalho é casado e tem duas filhas.

É formado em Contabilidade pela Dublin City University assim como em Engenharia Eletrónica pela University College Dublin. Mark Bourke tem uma vasta experiência na área financeira, iniciando a sua carreira na PricewaterhouseCoopers (PwC) em 1989 e foi sócio em serviços fiscais internacionais na PwC US na Califórnia. Em 2000, Mark Bourke ingressou no IFG Group como CFO passando a CEO do Grupo em 2006. Bourke ingressou no AIB em abril de 2014 como CFO e membro da Comissão Executiva do Allied Irish Bank (AIB) tendo sido cooptado para o Conselho de Administração em 29 de maio de 2014. É membro da Chartered Accountants Ireland e do Irish Taxation Institute. Mark ganhou o prémio “CFO of the Year” pelo Irish Times de 2018.

Rui Fontes ingressou no sector bancário no BES, tendo assumido várias funções, primeiro na área comercial e depois na área de risco de crédito. Em 2000, foi Chefe do Departamento de Risco Global e em 2012 assumiu a responsabilidade pela coordenação deste Departamento, que manteve durante a transição para o novobanco e até à sua nomeação para vogal.
Rui Fontes é membro do CAE do NOVO BANCO desde 6 de abril de 2017, na qualidade de responsável pelas Áreas de Risco e Controlo Interno e, após a aquisição do novobanco pela Lone Star em 18 de outubro de 2017, foi nomeado Chief Risk Officer pelo Conselho Geral de Supervisão.

Formada em Direito pela Universidade Católica Portuguesa (Lisboa). Antes de integrar a equipa do novobanco, Luísa Soares da Silva exerceu advocacia na área financeira, bancária, seguradora e de mercado de capitais, na Sociedade de Advogados Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados (MLGTS), desde 2001 como sócia. Luísa Soares da Silva é casada e tem dois filhos.

Luis Ribeiro, que já era membro do órgão de administração do novobanco dos Açores e da Garval – Sociedade de Garantia Mútua, era atualmente responsável pela coordenação da área Sul de Empresas e anteriormente pela área de Retalho, onde desempenhou várias funções ao longo dos seus 23 anos de experiência bancária comercial. Com 47 anos, Luis Ribeiro é licenciado em Economia, tendo frequentado o Programa Avançado de Gestão para Executivos da Universidade Católica assim como o Advanced Executive Programe da Nova SBE. 

Andrés Baltar é um profissional de banca de Empresas e de investimento com mais de 30 anos de experiência. Andrés começou sua carreira na banca no The Chase Manhattan Bank como analista de crédito, em Madrid, exercendo depois uma função de front office nos setores de Infraestrutura, Construção, Engenharia e Imobiliário.
Em 2001, juntou-se ao Barclays para fazer parte da equipa de Investment Banking em Espanha, sendo responsável pelos negócios de Dívidas do Mercado de Capitais e Derivados. Em 2010 Andrés foi nomeado como responsável pelo negócio da Banca de Empresas, inicialmente em Espanha, e pouco depois estendido à Península Ibérica, e a seguir mudou-se para o Dubai com a responsabilidade da Banca de Empresas para o Médio Oriente. Em 2018, Andrés integra a Comissão Executiva do Barclays na Europa como Head of Corporate Banking, cobrindo nove países da Europa continental.
Andrés é formado em Administração de Empresas pela Universidad de Deusto em Bilbao.

Comités do Conselho de Administração Executivo

A atividade do CAE é apoiada pela existência de diversos Comités. De acordo com o seu regulamento de funcionamento, o CAE pode constituir os comités que garantam, em complemento da gestão ao nível do próprio CAE, o acompanhamento da atividade do Banco nos âmbitos que forem considerados relevantes.

Objetivo e Composição

Responsável por dar parecer, aprovar ao abrigo da delegação de competências do Conselho de Administração Executivo, e monitorizar as políticas e os níveis de risco do Grupo NOVO BANCO. Neste contexto, é responsável por monitorizar a evolução do perfil integrado de risco do GNB e por analisar e propor metodologias, políticas, procedimentos e instrumentos de avaliação para todos os tipos de risco, nomeadamente de crédito, mercado, liquidez e operacional.

  • Rui Fontes - Presidente

Responsável por decidir as principais operações de crédito em que o Grupo NOVO BANCO intervém, de acordo com as políticas de risco definidas para o Grupo NOVO BANCO.

  • António Ramalho - Presidente

Responsável pela definição das políticas de gestão de balanço (capital, preços e riscos de taxa de juro, liquidez e cambial) e monitorizar os seus impactos ao nível do Grupo NOVO BANCO. O Comité CALCO deverá ainda monitorizar os indicadores de crise (Early Warning Indicators) relativos ao Plano de Recuperação, bem como à Liquidez, propondo medidas de mitigação e, se necessário, ativar o plano de recuperação e/ou o plano de contingência de liquidez.

  • Mark Bourke - Presidente

O Comité monitoriza os temas relacionados com o Sistema de Controlo Interno do Grupo NOVO BANCO, sem prejuízo das competências atribuídas ao Conselho de Administração Executivo e aos demais Comités instituídos no Grupo NOVO BANCO, nomeadamente ao Comité de Risco, ao Subcomité de Risco Operacional e ao Comité de Compliance e Produto.

  • Rui Fontes - Presidente

Responsável pela aprovação, na perspetiva de compliance, de produtos e serviços a produzir e/ou distribuir pelo Banco, devendo pronunciar-se sobre todos eles, no quadro do processo de “signoff” de produtos em vigor, bem como monitorizar os temas relativos ao controlo do cumprimento, sem prejuízo das competências dos demais Órgãos e Comités do CGS.

  • Luísa Soares da Silva - Presidente

Responsável por definir e dinamizar a transformação digital do NOVO BANCO.

  • António Ramalho - Presidente

Responsável pela aprovação da execução de despesas, dentro dos limites de competência que lhe foram definidos.

Inclui nos seus objetivos a definição do plano anual de gastos e a revisão da estratégia de aquisições.

  • Mark Bourke - Presidente

Responsável por definir o valor de imparidade a ser atribuído a cada Cliente, quando a exposição do NOVO BANCO a esse Cliente ou Grupo de Clientes é acima de 100M€.

  • Rui Fontes - Presidente

De igual modo, o Conselho de Administração Executivo constituiu 3 (três) Sub-comités, (i) Sub-Comité de Non Performing Assets (NPA), (ii) Sub-Comité de Risco de Modelos Alargado, (iii) Sub-Comité de Risco Operacional e 6 (seis) Steerings para as áreas de (i) Retalho, (ii) Empresas, (iii) Capital Humano, (iv) Informação de Gestão (Management Information System - MIS), (v) Investimento e (vi) Acompanhamento da Atividade. Os Steerings não têm normativo próprio devendo a composição e regras de funcionamento ser decididas casuisticamente pelos membros do Conselho de Administração Executivo.