NOVO BANCO Photo

Após ter efetuado um diagnóstico ambiental, o NOVO BANCO definiu novos objetivos ambientais que têm como finalidade consolidar a sua gestão responsável, reduzindo a pegada ambiental da sua atividade. Para atingir os objetivos definidos, o Banco definiu medidas e ações prioritárias a implementar, bem como a monitorização semestral dos seus resultados.

Os objetivos ambientais - consumos de energia, papel e crescimento de utilização de documentos digitais, emissões de CO2 e separação de resíduos estabelecidos para 2020, evidenciam o grau de compromisso do NOVO BANCO e um consequente envolvimento e motivação de todos os intervenientes na organização para alcançar uma maior eficiência ambiental.

OBJETIVOS AMBIENTAIS2020*Resultados alcançados em 2017
PAPEL FOTOCÓPIA -50% -30%%
DESMATERIALIZAÇÃO COMUNICAÇÃO AO CLIENTE 83%** 79%
ENERGIA -40% -25%
EMISSÕES CO2
              proveniente d eemissões de frota automóvel
            
 proveniente do consumo de eletricidade 

-50%
-20%


-25%
-51%
(objetivo alcançado)
ÁGUA -16%
-25%
(objetivo alcançado)
SEPARAÇÃO DE RESÍDUOS 100% 10%

* ano base 2015
** 83% da comunicação bancária emitida ao cliente ser digital


Consumo de Energia

Com vista à redução dos seus consumos de eletricidade, o Banco tem vindo a implementar diversas iniciativas, nomeadamente:

  • Redução do número de locais de consumo;
  • Instalação de iluminação e equipamentos de ventilação e ar condicionado mais eficientes do ponto de vista energético;
  • Re - implementação do sistema de alarmística de consumos anómalos e equipamentos ligados que não estejam a ser utilizados.

Em 2017, o NOVO BANCO consumiu cerca de 31 232 543 kWh de eletricidade, dos quais 8 283 294 kWh dizem respeito ao seu data center, pelo que o consumo por colaborador situou-se nos 6 616 kWh, uma redução de 14,3% face a 2016.




Consumo de Papel
A racionalização da comunicação em suporte de papel é um compromisso estrutural que foi assumido pelo NOVO BANCO nas suas duas vertentes: interna e externa. Este compromisso passa essencialmente pela sensibilização e mudança de hábitos dos seus colaboradores e clientes, bem como pela desmaterialização contínua dos seus processos.

Em 2017, o NOVO BANCO deu continuidade à sensibilização destes dois grupos de stakeholders para a utilização mais eficiente do papel impresso.

Nível Interno: 
   .
Papel branco - 246,0 toneladas;
   . Impressos finishing e extração - 123,7 toneladas;
   . Papel reciclado - 0,05 tonelada.

Em 2017 cada colaborador consumiu cerca de 52 quilos de papel, menos 3,4% face a 2015. Em 2017, e tendo em conta a diminuição e reaproveitamento dos seus resíduos, o NOVO BANCO enviou cerca de 197,68 toneladas de papel para a reciclagem.



Nível Externo:
O NOVO BANCO prossegue a sua estratégia de otimização da comunicação ao cliente, mais precisamente  na vertente de desmaterialização de documentos com a consequente melhoria da qualidade ambiental.

Para além dos extratos de conta, o NOVO BANCO disponibiliza aos seus clientes a generalidades de documentos bancários numa versão também digital (extrato de cartão de crédito, títulos constitutivos de depósito, extratos de avisos de lançamento, documentos integrados de faturas, avisos de lançamento avulso). No segundo semestre de 2017, a desmaterialização foi reforçada com a emissão digital de extratos de movimentos e posição de títulos e carteira de fundos de investimento. Esta consolidação permitiu atingir, em 2017, um grau de desmaterialização global de comunicação a cliente de 79% face a um valor inferior a 50% em 2014.

Emissões de CO2
O NOVO BANCO assumiu como fulcral a elaboração de um inventário das emissões decorrentes da sua atividade. Para este fim efetua anualmente o cálculo de emissões diretas e indiretas de acordo com as diretrizes do Painel Intergovernamental das Alterações Climáticas (IPCC), do Protocolo de Gases com Efeito de Estufa do WRI/WBCSD.

Em 2017 o inventário de emissões de CO2 (âmbito 1,2 e 3) totalizou 19 711 toneladas sendo que o consumo de eletricidade e o consumo de combustíveis fósseis representam as maiores fontes de emissão de gases com efeito estufa. Face a 2016 as emissões de redução de CO2 tiveram um decréscimo de 28,7%.




Consumo de Água
Com o objetivo de reduzir os seus consumos de água, o banco, tem vindo a implementar diversas medidas de redução do seu consumo, incluindo a substituição das torneiras tradicionais por torneiras com temporizador e a sensibilização dos colaboradores para comunicar todas as anomalias detetadas. Em 2017, o consumo de água situou-se nos 62 441 metros cúbicos de água, cerca de 13,2m3 por colaborador.